quinta-feira, 10 de julho de 2008

Origem do Vaticano e do Papado


Segundo a história o Papa Nicolau I que foi eleito no ano de 858 e que terminou o seu mandato no ano de 867, foi o primeiro a usara coroa. Serviu-se com muito efeito de documentos espúrios que surgiram no ano de 857 e que foram conhecidos como "PSEUDAS DECRETAIS DE ISIDORO". Essas falsas "decretais" eram pretendidas dos bispos dos séculos I e II que "exaltavam o poder dos papas".

Na verdade eram corruptas invencionices, e que esta falsidade foi descoberta depois que este papa morreu, ele tinha mantido ao dizer "que tais documentos estiveram durante séculos guardados pela igreja".

As "PSEUDO DECRET AIS DE ISIDORO" selaram a pretensão do clero medieval com o "Sinete da antigüidade" e o papado que era recente, tornou-se coisa "antiga" da noite para o dia. Foi a maior mentira da história, esses falsos documentos fortalecem os papas de tal maneira, que antecipou em 5 séculos o poder temporal deles e Ihes serviu de base para estabelecer as leis canônicas da Igreja Católica.

Essa grande mentira ajudou ao papa Gregário VII, que reinou durante 13 anos (de 1073 a 1085) a decretar o "DIREITO EXCLUSIVO DE GOVERNAR A IGREJA”.

No ano de 1304 e 1305, o rei Felipe IV, da França enfrentou o papa devido às perseguições religiosas da Igreja e também porque eram cobrados impostos aleivosos dos franceses, o rei mandou um emissário à Roma prender o Pontífice e humilhou-o até o pó ­Conduzidos para Avinhão na França, donde foram tratados como simples instrumentos da Corte francesa durante 70 anos (de 1305 a 1377).

Neste período o Catolicismo teve dois papas, ambos "Infalíveis" um em Avinhão na França e outro em Roma, proferindo anátemas e maldições um contra o outro. A verdade é que não temos espaço suficiente para dar um histórico da famosa "epístola de lúcifer" que foi dirigida ao papa de Avinhão durante o ano de 1351.

Com o papa Gregorio IX, no ano de 1377, a sede da Igreja voltou a ser unificada no Vaticano e no século XV época em que foi demolida a Igreja do Salvador e construída em seu lugar a Basílica de São Pedro. Posteriormente os papas envolveram-se em guerras que resultou na prisão do papa Pio VII no ano de 1798 por Napoleão Bonaparte.

Em 1870, o papa Pio IX governava Roma com 10mil soldados franceses quando a frança retirou as suas tropas, Victor Manuelli invadiu a cidade arrebatando Roma das mãos dos papas. Humilhados estes perderam Roma e se tornaram súditos do governo italiano.

Até 1929, o papado esteve confinado no vaticano; nesse ano Pio XI e Mussolinni assinaram o tratado de Latrão legalizando esse pequeno estado político - religioso que é controlado pela "Cúria Romana e governado por 18 velhos cardeais italianos que por sua vez controlam a carreira dos bispos e monsenhores". O papa fica fora dessa pirâmide.

O papado é uma instituição italiana que surgiu das ruínas do extinto império Romano; sobreviveu fazendo astutas alianças políticas como no caso dos francos e dos Carlos Magno, sobreviveu pela fraude como no caso das "FALSAS DECRET AIS DE ISIDORO" sobreviveu servindo-se dos exércitos dos reis submissos e dóceis e sobreviveu derramando o sangue inocente na INQUISIÇÃO que vulgarmente era chamada de "SANTO OFICIO".

Houve alguns papas que foram homens de bem.

A Igreja dos primeiros séculos abrigou muitos santos que, no entanto, viveram fora da influência do Vaticano; entendiam eles, que os tais "VIGARIOS DE CRISTO" eram bem menos santos do que aparentavam.

Atualmente a Igreja está envolvida na "opção pelos pobres" procurando distribuir a riqueza dos outros sem tocar na sua.

Com esta opção procuram atrair as massas que perderam; os mesmo desesperos sofrem na Itália "onde apenas 25% dos católicos são praticantes comparando-se com 41% em 1968" (Publicado no Estado de 07-04-88).

Se os papas não conseguem manter a fé católica na Itália, que é a sede da Igreja e berço do papado, como poderão esperar realizar isso viajando por outros países?

Distanciam-se de Cristo, eriçando as classes sociais umas contra outras e deixam ver que substituíram a mensagem eterna pela mensagem temporal.

O clero recorre ao artificialismo para conservar o povo ao seu redor.

Tudo no catolicismo é muito colorido, se o papa celebrasse as cerimônias civilmente trajado como os pastores de outras Igrejas cristãs reduziriam em 70% os curiosos: por essa razão a indumentária deles é de espantar. Conforme o cerimonial o papa se apresenta com o Bácuo, a Mitra, a Casula, a Meseta, a estola, o Palio, a Sobrepeliz, a Roquete, a Faixa, o Escapulário, a Coroa, a Tiara, as Luvas de seda e os Sapatos de Pelica Vermelha, tudo muito colorido.

O papa João Paulo II acrescentou mais uma peça na sua indumentária: o "COLETE A PROVA DE BALA" comprou dois deles na firma Armoured body nos Estados Unidos (Transcrito do Jornal de Milão IL Giornio).

O jornal Fort Worth Star-Telegram escreveu recentemente que ­"O Brasil não é o maior país Católico do Mundo, mais sim o maior país espírita". Diz que a Umbanda, os terreiros trazidos da África e o Catolicismo trazido pelos colonos portugueses foram um sincretismo religioso que faz negocio com estátuas católicas e ídolos africanos junto com ervas milagrosas, porção de amor, dentes de jacaré, asas de morcegos e pós de baratas.

A grande maioria "católica" que é mencionada pelo clero para desta maneira poder humilhar as outras Igrejas Cristãs é encontrada nos países mal alfabetizados menos desenvolvidos, essas nações devem cobrar a situação em que se encontram do catolicismo que abraçam.

Por muitos séculos a Igreja não alfabetizou para desta maneira melhor poder explorar as massas com crendices, impediram os povos de examinar a Bíblia, que é fonte de todo progresso e liberdade.

Quando o clero menciona AS RELIGIÕES MINORITÁRIAS, esquece de milhões de Cristãos não católicos exterminados pelos papas retardando a sua multiplicação.

Existem duas Civilizações bem definidas, a civilização chamada de "PROTESTANTE" equilibrada financeiramente, com governos estáveis, alfabetizada e desenvolvida representada pela Alemanha, Escandinávia, Inglaterra, Escócia, Austrália, Canadá, Suíça, Estados Unidos e outras de maior ou de grande densidade protestante.

A outra civilização, a "Católica Romana", é semi-alfabetizada, com governos instáveis, orientadas pelo Vaticano, que exporta crendices e superstições. Essa civilização é representada pela América Latina e América Central, Espanha, Portugal e a Itália onde floresce o maior partido Comunista da Rússia.

É sabido que nenhuma nação protestante até hoje foi tragada pelo comunismo, enquanto as nações católicas são vulneráveis ao totalitarismo.

As alterações nas doutrinas Cristãs criaram dogmas que são indiscutíveis na Igreja Católica, impedindo os próprios padres de reiniciar, examinar e decidir entre o certo e o errado. Verificamos que o Catolicismo Romano é uma maquinação ardilosa contra a inteligência e a liberdade (Aberdeem Gladestone).

Muitos dogmas estão baseados em lendas e suposições, outros estão impregnados de crendices que rebaixam o nível do cristão, ou melhor, do cristianismo; quase todos foram criados com fins lucrativos, outros dogmas conferem ao clero certo autoridade e influência até que a sociedade seja esclarecida.

Vejamos algumas alterações estranhas às Sagradas Escrituras:

Sempre houve, mesmo antes da reforma, lideres e Igrejas não católicas perseguidas pelos papas. Entre eles os Valdenses, os Anabatististas e outros.
  • No ano de 304, os Bispos começaram a serem chamados de Papa. 
  • Em 310, deu-se inicio as rezas pelos mortos. 
  • Em 320 começam a usar as velas pela primeira vez. 
  • No ano de 325 Celebram o primeiro Concilio das Igrejas. 
  • Em 381, A Igreja Cristã recebe o nome de "Católica".
  • Já no ano de 394, o culto cristão é substituído pela missa. 
  • Em 416 começam a batizar crianças recém-nascidas.
  • No ano de 431 é instituído o culto a Maria, mãe de Jesus.
  • Durante o ano de 503 o Purgatório começa a existir. 
  • No ano de 781 é iniciado o culto às imagens. 
  • No ano de 830 ordenam o uso de ramos e água benta.
  • Ao começar o ano de 933 é instituída a Canonização de "santos" 
  • Em 1184 A Inquisição ou Santo Oficio é decretada, somente efetivada anos depois. 
  • Em 1190 é instituída a venda de indulgências.
  • Já no ano de 1200 a hóstia substitui a Ceia do Senhor. 
  • No ano de 1216 é instituída a confissão. 
  • Em 1215 Decretam a transubstanciação. 
  • Em 1546 inserem os livros Apócrifos na Bíblia.
  • Já no ano de 1854 é ordenado o dogma da Imaculada Conceição. 
  • 1870 o Papa é declarado Infalível.
  • No ano de 1950 decretam a Assunção de Maria. 
Devido a essas alterações a Igreja Católica deixou de ser legítima e conseqüentemente dividiu a cristandade. No ano de 869 a Igreja Ortodoxa separou-se de Roma recusando submissão ao Papa e dizendo que a infalibilidade é uma "blasfêmia que coroou o papado".

No ano de 1517, Martinho Lutero, que era um monge encontrou na Bíblia, em Romanos 1.17 que “O Justo. viverá da Fé "e isto o inspirou; em seu raciocínio entendeu que a salvação nos é dada pela fé em Cristo Jesus e não pelos ritos, sacramentos e penitências receitados pelo Catolicismo Romano.

A palavra "protestante" apareceu quando Clemente VII, em 1529, tentou impedir que o Evangelho fosse pregado em alguns estados da Alemanha. Os cristãos não Católicos fizeram um protesto contra essa pretensão do papa e receberam o nome de "Protestantes", e que é aplicado hoje a todos os evangélicos.