quinta-feira, 13 de novembro de 2008

A Mordomia

MORDOMIA
1Pe 4.7,8

I. CONCEITOS DE MORDOMIA
1. Existem dois conceitos de mordomia:
a) O conceito secular: A palavra "mordomia" está muito desgastada entre o povo. Quando se fala em mordomia, a idéia que vem à mente é: regalias, privilégios, bem-estar, vantagens que aumentam os rendimentos sem acarretar encargos.
b) O conceito cristão: Para os crentes, mordomia tem um significado muito mais profundo, sendo: o conjunto de bens, tanto materiais quanto espirituais, sobre o qual Deus nos cons­tituiu como administradores, sendo que lodos coisas perten­cem a Ele. O rei Davi declarou: Ao Senhor pertence a terra e tudo o que nela se contém,o mundo e os que nele" (Sl 24.1).
2. O significando da palavra “mordomo”. Mordomo é um administrador que merece plena confiança do dono da casa:
"Cada um administre aos outros o dom como recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus" (1Pe 4.10). Origem: A palavra "mordomo" vem do latim majordomus e significa "o principal criado da casa" (major=maior=mor+domus=casa). No grego, a palavra equivalente é oikonómos, com o mesmo significado (oikos=casa+ nómos=governo). O mordomo é o principal servo da casa. Ele administra a casa com todos os seus utensílios e bens. Tudo está sob a sua guarda e responsabilidade. José, na casa de Potifar, é o típico exemplo de mordomo (Gn 39.4).
II. BASE DA MORDOMIA CRISTÃ
1. Deus é o dono de tudo. Davi declarou esta verdade:
"Do Senhor é a terra e a sua plenitude; o mundo e aqueles que nele habitam" (Sl 24.1). Todas as coisas foram feitas por Deus (Gn 1.1; Hb 11.3). Não existem dois princípios criadores. Apenas um, e este princípio é Deus. Portanto, Ele é o proprietário da sua criação.
2. O homem é mordomo de Deus. Deus constituiu o homem como seu mordomo, seu despenseiro, depois de criar tudo:
"E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que rasteja pela terra" (Gn 1.28). "Disse o Senhor: Qual é, pois, o mordomo fiel e prudente, a quem pôs sobre os seus servos, para lhes dar a tempo a ração? Bem-aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar fazendo assim" (Lc 12.42,43).
3. O remido tem um motivo próprio.
"Porque fostes comprados por bom preço. Glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus" (1Co 6.20). Não nos pertencemos a nós mesmos. Pertencemos a Deus duas vezes: primeira, porque Ele nos fez; segunda, por­que Ele nos remiu (comprou). Esta é a nossa motivação para servi-Io.
4. Deus exige uma prestação de contas de cada mordomo.
Este é o ensino de Jesus: "Muito tempo depois veio o senhor daqueles servos e ajustou contas com eles" (Mt 25.19). Jesus está dizendo que haverá um tempo de acerto de contas. Feliz será o mordomo que for achado fiel.
III. A EXTENSÃO DA MORDOMIA
1. A mordomia da igreja.
A igreja, como instituição, recebeu de Deus uma mordomia. Ela é responsável diante de Deus pelo bom desempenho dessa mordomia. Em Ap 2.1-3, o Senhor encontrou na igreja de Éfeso um bom desempenho da mordomia. Todavia, foi achada em falta em algumas coisas (v.4). Das sete igrejas da Ásia, apenas duas estavam desenvolvendo fielmente a mordomia que recebera do Senhor: Esmirna e Filadélfia.
2. A integridade de um fruto da mordomia.
Jesus ensinou, por pa­rábola: "O seu senhor lhe disse: Bem está servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre o muito te colocarei. Entra no gozo do teu senhor" (Mt 25.21). O mordomo fiel, ainda que tenha recebido poucos talentos, será colocado sobre o muito. O infiel, no pouco ou no muito, será punido pelo Senhor.
3. As possessões materiais.
As propriedades têm um papel social.
Deus nunca teve a intenção de acumular um mordomo com bens materiais sem que este fizesse a distribuição proporcional de suas rendas: a) O Estado tem a sua porcentagem e Deus também: "Então ele lhes disse: Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus" (Mt 22.21); b) As viúvas e os órfãos têm sua parte: “As viúvas despediste vazias, e os braços dos órfãos foram quebrantados. Por isso, é que estás cercado de laços, e te perturbou um pavor repentino" (Jó 22.9,10); c) Os pobres perceberão a sua parte: os após­tolos faziam a distribuição das contribuições, atendendo aos pobres também (At 4.34,35). Deus estabelece para cada mordomo as devidas prioridades.
4. As dádivas do próprio mordomo.
O mordomo contribui com dízimos, ofertas voluntárias, tempo, talentos, trabalhos etc. (Gn 4.1-7; 1s 6.8; Ml 3.10). A igreja foi fundada por Jesus Cristo. Ela é a agência do Reino de Deus na terra. Cada membro da igreja é um mordomo e tem responsa­bilidades. A igreja está apta para receber as dádivas do mordomo e administrá-las para o crescimento do Reino de Deus na terra.

CONCLUSÃO
O tema "mordomia" é muito vasto. Vale a pena conhecer o assunto, pois é pela nossa fidelidade na mordo­mia cristã que alcançamos sucesso na carreira, rumo à Canaã celestial.