quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

De espírito para Espírito, a verdadeira adoração


Por Pr. Levi Costa

"Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade." (Jo 4.24).

Na criação, realizada no Éden, Deus fez o homem à Sua imagem e semelhança para que houvesse uma perfeita comunhão de espírito para Espírito, o homem e seu criador, Deus (Gn 1.26,27). Mas, o pecado original trouxe separação entre o homem e Deus (Is 59.2; Rm 3.23). Foi na obra da redenção, quando Deus se faz à semelhança do homem, na pessoa de Jesus Cristo, que aconteceu a restauração do plano original mediante a salvação do espírito do homem (Fp 2.7,8). Pois o Filho do homem, Jesus, veio buscar e salvar o que se havia perdido. (Lc 19.10).

Agora, se faz necessário um novo nascimento ao homem, o nascimento da água (da palavra), e do Espírito. Sem o processo do novo nascimento, é impossível à pessoa o acesso às coisas pertinentes ao reino de Deus e, portanto, a adoração a Deus (Jo 3.3,5). Pois, o que é nascido da carne (nascimento natural), é carne, mas o que é nascido do Espírito (nascimento espiritual), é espírito (Jo 3.6). "Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo." (2 Co 5.17). Fica o imperativo do mestre a todos: "Necessário vos é nascer de novo" (v 7).

Assim, pelo novo nascimento, o homem é restaurado a comunhão original com o Criador (Ef 2.16-19). A partir de então, ao se unir ao Senhor pela salvação em Cristo, a pessoa torna-se um espirito com Ele (1 Co 6.17), e nessa comunhão de espírito, ele passa a adorar a Deus em espirito e em verdade (Jo 4.23). "Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte." (Rm 8.2). Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele (v9). Pois é o Espírito que testifica com o nosso espírito que agora somos filhos de Deus (v16).

Portanto, a verdadeira adoração é aquela que acontece de espírito (do homem salvo), para Espírito (de Deus, o criador). Tal como Maria se expressou em adoração ao Senhor logo que recebeu o anuncio de que ela seria a mãe do Salvador: "Disse então Maria: A minha alma engrandece ao Senhor. E o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador." (Lc 1.46,47).

Amém!

Como no vídeo abaixo, assim cantamos: